Posts filed under ‘opinião’

O 9º ano e a aula de música: piadas sem graça do ensino brasileiro

De tempos em tempos uma boa iniciativa surge e você tem um pouco de esperança no Brasil.

As duas últimas notícias sobre a educação brasileira que me deixaram feliz e fizeram com que eu acreditasse numa sociedade melhor foram a obrigatoriedade de aula de música e a inclusão de mais uma série no ensino fundamental, o 9º ano.

Mas eis que vem aquela velha calhordice brasileira de fazer tudo nas coxas e do jeito mais fácil e estraga uma boa oportunidade. Como eu trabalho com livros infantis, tive acesso às informações e vi que:

1. Como não há muitos professores especializados em música, as escolas particulares resolveram simplificar tudo e transformar a linda aula de música em uma aula de hinos.

2. O 9º ano é uma lenda. Na verdade, a única coisa que mudou foram os nomes: o antigo pré passou a se chamar 1º ano e, consequentemente, a 8º série virou 9º ano.

Assim, tudo continua do mesmo jeito, a sociedade não muda e os brasileiros continuam reclamando que o governo é que não presta e por isso o Brasil não vai pra frente.

Anúncios

maio 11, 2009 at 12:23 pm Deixe um comentário

A era das idéias

Está fácil fazer sucesso hoje em dia, desde que a pessoa tenha boas idéias. Basta inventar o conceito de uma nova tecnologia de informação ou criar algo que poupe a natureza – como a borda de piscina que não deixa a água ser desperdiçada – que você está feito. Para os artistas, é só  fazer algo inteligente e postar no youtube, abrir um blog, algo assim, que as portas se abrem. Vivemos em uma época em que não é mais necessário ser filho de gente influente para ser reconhecido. Basta seguir seu talento natural que as coisas fluem. Como exemplo, vou tomar o Viciado Carioca. O cara, pelo que percebi, era só um viciado em cocaína que gostava de escrever para espairecer. Não sei se tentou carreira literária ou em comunicação, mas sei que se não fosse a internet, ele provavelmente não passaria de um viciado (ou ex-viciado, sei lá) que escreve de vez em quando mas ninguém lê, e que trabalha em um escritório ou algo do tipo. Mas hoje ele é um blogueiro famoso, e por mais que o sucesso, dinheiro e mulher não tenham chegado, um filme de um de seus posts está sendo produzido e ele influi no pensamento de centenas de pessoas. Quem sabe, mais pra frente, não vem algo ainda maior?

A Era da Informação abriu caminho à outra mais interessante, a das boas idéias. E digo boas, porque não basta copiar algo, ou fazer alguma coisa meia boca. Apenas as que são realmente geniais têm sucesso.

___

Post velho, de 2006, que mofou aqui nos rascunhos e eu resolvi publicar. Os exemplos até estão datados.

maio 5, 2009 at 8:03 am Deixe um comentário

Aonde estão os pensadores?

Durante as décadas de 60, 70, 80 e até mesmo 90, não faltavam pensadores dizendo que outra realidade era possível, criticando o capitalismo, dizendo que o sistema não se sustentava, que era perverso, o causador das chagas do mundo.

É fácil criticar um poder que parece eterno.

Mas, agora que o “grande vilão” está ruindo, aonde estão estas vozes? Por que até agora não li Eduardo Galeano dizendo que um novo mundo pode ser construído? Aonde está nosso Marx, nosso Che?

Esta é a hora de propor novas possibilidades, de realmente mudar o mundo para algo novo. É a hora de os idealistas se manifestarem. O que será que todas as pessoas que se reúnem todos os anos para protestar contra o G-8 têm em mente? Se os protestos realmente funcionassem, elas não saberiam o que dizer?

Será que os escritores não passam de meros sonhadores? Será que os protestos eram apenas uma anestesia para continuar vivendo no mundo se sempre?

Diante de um mundo em crise, tudo o que se vê é o silêncio daqueles que antes gritavam.

abril 6, 2009 at 9:13 am 1 comentário

O bloglog e o jornalismo de celebridades

Este é um texto meu que foi postado primeiramente no blog Jornalismo na Rede. Ele discorre sobre como o bloglog, que é um blog exclusivo de celebridades e personalidades brasileiras, pode afetar o jornalismo de celebridades, também conhecido como colunismo social.

Acredito que essa ferramenta pode causar um impacto muito grande nas revistas de fofocas. Afinal, um fã agora pode ler sempre o blog do artista, não precisa mais saber das fofocas através das revistas… Enfim, vamos ao texto:

________________________________________________

O bloglog e o jornalismo de celebridades

Uma nova ferramenta surgiu para o “jornalismo 3.0“: o bloglog.

Apesar de não ser uma ferramenta revolucionária, que pode mudar todas as áreas do jornalismo, ela causa uma mudança significativa em um nicho: o jornalismo de variedades.

O bloglog nada mais é que um blog criado pela globo.com para ser usado por celebridades — tanto as globais quanto as demais. Por que as celebridades já não blogavam antes? Bom, isso não cabe a nós responder, mas o fato é que agora elas passaram de passivo para ativo nesse tipo de jornalismo, o de colunismo social. Explicando melhor, antes, uma atriz como Paola Oliveira era acusada de ser motivo de separação de um casal de famosos por Leão Lobo e precisava aparecer no Faustão para se defender, ou então precisava conversar com algum jornalista de confiança para ter sua versão da história publicada. Agora, basta ela postar em seu bloglog sua versão da história, que os jornalistas já vêem e reproduzem em seus respectivos veículos. Isto não é apenas uma hipótese, aconteceu de verdade. Para conferir, clique aqui.

Com o bloglog, o jornalismo de celebridades ganhou uma nova dinâmica. Agora, as celebridades também produzem material jornalístico e divulgam sua vida, espontaneamente. Elas podem se manifestar diante de um assunto público da maneira que preferirem, e os jornalistas podem checar a informação direto da fonte. Mais do que isso, elas agora podem difamar os jornalistas tanto quanto os jornalistas as difamam.

Paola Oliveira “fura” os jornalistas ao mostrar antes em seu blog o vestido que seria destaque nas revistas no dia seguinte

Mas nem tudo é perfeito. Da mesma maneira que esta é uma ferramenta útil para os famosos, ela pode ser também prejudicial.

A imprensa sempre foi boa em construir uma imagem dourada em volta das celebridades, e com o bloglog, elas podem destruir esta imagem sem nem se dar conta disso. Elas mostram que não só não são tão finas e cultas quanto pensávamos, como também provam que postam montagens toscas, escrevem tudo errado e gostam de expor a vida, como qualquer pessoa.

O exemplo de Paola pode ser usado novamente para explicar este tópico. Através de seu blog, ela mostra que escreve mal e que, provavelmente, não é tão culta quanto parece ser. Um outro exemplo muito bom é o de Dado Dolabella. Tudo bem que ele nunca foi exemplo de inteligência, mas no bloglog dele, vê-se que ele é quase analfabeto.

Esta ferramenta, por mais que seja apenas um blog, traz outra dimensão ao universo estrelado dos famosos. Ela não só aproxima o fã do ídolo, como mostra que eles são iguais (quando não piores) a qualquer um.

maio 15, 2008 at 9:48 am 4 comentários

Kalichszteim

Eu sei que o tema é batido. O carnaval já passou, o carro já saiu da avenida e eu nem sei como foi o desfecho do caso, mas fato é que era óbvio que os judeus conseguiriam vetar o carro do Holocausto. Vocês viram o nome da juíza que decidiu o caso?

Juliana Kalichszteim

Bom, de uma forma ou de outra, essa polêmica era ridícula. O carnaval mostra o massacre dos índios desde que foi inventado e o dos judeus não pode, não.

fevereiro 7, 2008 at 1:11 pm Deixe um comentário

O melhor do Brasil é o brasileiro

Samba, caipirinha, futebol, carnaval. São várias as idéias positivas disseminadas sobre o Brasil no exterior. Para os gringos, o Brasil é um paraíso. Desde sempre, ouvimos boatos sobre a hospitalidade brasileira, as mulheres maravilhosas, a alegria do povo e as belezas naturais do país. Acontece que, ao olhar mais de perto para o país do “jeitinho”, vemos que as coisas não são bem assim.

A idéia de que o Brasil só não é uma maravilha maior que seu povo é totalmente errada. Não passa de um slogan para fazer com que o turismo melhore. Acreditar nisso é a mesma coisa que acreditar que todo mexicano é preguiçoso e todo francês, antipático. São rótulos que simplificam as características de um povo para depois classificá-lo. Quem nunca ouviu o slogan do governo atual, que alega que o melhor do Brasil é o brasileiro? Ou então, aquela música do Raul, também usada nas propagandas federais, que diz que o brasileiro não desiste nunca?

Acontece que o brasileiro aceita esses rótulos porque tem baixa auto-estima. Apesar de o brasileiro saber que não vive bem, que seus governantes são corruptos, que o país poderia estar melhor, não faz nada a respeito, além de piadas. A verdadeira serventia dos mitos sobre a população brasileira é fortalecer a característica subserviente deste povo, que agüenta todas as dificuldades e ainda ri delas. Aproveitando mais um mito, o Brasil é, e sempre foi, o país do futuro. Mas até quando?

setembro 25, 2007 at 11:00 am 8 comentários

Uma nova forma de se comunicar

É muito interessante ver o amadurecimento dos blogs. No início, a blogosfera era composta, em sua maioria, por adolescentes contando sua ida ao shopping, coisas do tipo. Ao passar do tempo, estas pessoas trocaram seus blogs por fotologs e pelo Orkut, e os blogs passaram a ter uma certa importância.

Hoje em dia, já é possível se informar apenas por blogs. É lógico que é sempre bom dar uma apurada nos fatos, mas blogs de jornalistas, como o do Azenha, o do Dom Quixote (cuja identidade é secreta) e o do Nassif, já são uma boa opção ao jornal. Nestes blogs, podemos encontrar informações que não veríamos se não fosse a internet. São jornalistas que criticam o mundo e a própria imprensa.

Mas uma coisa que me chamou muita atenção foram os blogs do jornal O Globo. São blogs de enviados especiais do jornal a países polêmicos e muito esteriotipados. Os que leio, são de jornalistas que estão na China, em Israel e no Irã.

Nestes blogs, os jornalistas mantêm uma espécie de diário de viagem, com posts que retratam com detalhes a vida e curiosidades destes países. De vez em quando, um destes posts viram notícia na versão impressa do jornal.

Através destes blogs, pude saber que há grupos neo-nazistas em Israel; como os jovens marcam encontros no Irã, onde solteiros não podem entrar em festas mistas e flertar em lugar público é proibido; e que para os chineses driblarem os chefes no trabalho, minimizam as janelas do explorer e as encaixam na área de mensagem do Outlook, assim, fica parecendo que eles estão imersos no trabalho, quando na verdade, estão se divertindo.

Enfim, estes blogs dão uma visão mais real de sociedades mistificadas por nós, mas que não são tão alienígenas como parecem.

Os blogs (e a internet como um todo) finalmente estão se firmando como mídia informativa. E, ao contrário do que se imaginava, não parecem ter vindo para tomar o lugar da mídia impressa. Se os grandes veículos souberem utilizá-los, podem se tornar grandes aliados: os custos são mais baixos que os de outras mídias, e as informações, mais transparentes. É uma nova forma de se comunicar. E, diga-se de passagem, muito mais inteligente.

setembro 12, 2007 at 2:10 pm 9 comentários

Posts antigos


Tópicos recentes

novembro 2017
S T Q Q S S D
« maio    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Blog Stats

  • 15,719 hits